Elder Prates.
" A leitura não me transforma em gênio, mas com certeza tira-me da mediocridade ".
CapaCapa TextosTextos ÁudiosÁudios E-booksE-books FotosFotos PerfilPerfil Livros à VendaLivros à Venda Livro de VisitasLivro de Visitas ContatoContato LinksLinks
Textos



Foto: Elder Prates
 
 
 
 
Magna Urbe

Oh! Magna urbe pulsante.
Onde o cinza suplanta o colorido.
No ar a fumaça bailante.
Dia-a-dia de estresse embebido.
Escaldante viver sufocante.
Somos todos por ti engolidos.
E jogados na massa, andantes...

Rasgam-te serpentes fétidas.
Pois ninguém tem coragem de enfrentá-las.
És gigante mas há muito combalida.
Com feridas que só sabem remendá-las.
Tens belezas escondidas.
E há muito é preciso adensá-las.
Mas devido aos vermes estás, adormecida...


 
Escrito na estrutura do Soneto Prates:
2 estrofes com sete versos cada.
Elder Prates
Enviado por Elder Prates em 24/03/2017
Alterado em 25/03/2017
Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Compre aqui o livro 'O sonho de ser escritor'
Compre aqui o livro 'Sonetos Prates'
Compre aqui o livro 'Poesias para refletir'
Compre aqui o livro 'Um pouco mais que palavras'
Compre aqui o livro 'Vontade, Imperativos e Dever nos primeiro e segundo capítulos da Fundamentação da Metafísica dos Costumes de Kant'